Previous Next
GÊNEROS E ESPÉCIES DE ORQUÍDEAS NATIVAS DE SC

Aspasia Lindl

Aspasia Lindl.

O nome é originário, provavelmente do Grego “aspasios”, que significa agradável, prazeroso.  O nome do gênero é uma homenagem a Aspásia de Mileto, amante do governante grego Péricles, mulher de grande cultura. Segundo a tradição, Aspásia foi responsável por grande contribuição à retórica e filosofia, tendo influenciado Platão, Cícero, Plutarco, Sófocles e outros.

Foi proposto por John Lindley em 1832, publicado em The Genera and Species of Orchidaceous Plants, 139, quando descreveu a Aspasia epidendroides, sua espécie tipo. Em 1922, Rudolf Schlechter fez a revisão do gênero, reconhecendo oito espécies, sendo uma nova descrição e listou duas espécies obscuras. Mais recentemente, em 1974, N.H. Williams revisou o gênero Aspasia reconhecendo apenas cinco espécies validas e uma obscura, podendo ser acrescida mais uma espécie, Aspasia silvana, descrita por Fábio de Barros e publicada em 1988 na revista Hoehnea 15: 94-99. São conhecidas três espécies brasileiras: A. Silvana, A. lunata e A. variegata. porém, somente a Aspasia lunata é conhecida para Santa Catarina.

Caracterizam-se por em regra apresentarem rizomas algo alongados, com raízes mais grossas que em Miltonia, terem pseudobulbos elípticos, mais ou manos alongados, lateralmente bastante comprimidos, guarnecidos por algumas bainhas foliares mais curtas que as folhas, portando uma ou duas folhas no ápice, estas oblongo-lanceoladas, herbáceas. A inflorescência é ereta ou arqueada, mais curta que as folhas, e comporta uma ou poucas flores vistosas, brotando das axilas das bainhas foliares junto à base dos pseudobulbos.

As flores são variáveis conforme a espécie, as pétalas elíptico lanceoladas ou acuminadas em algumas espécies mais largas que as sépalas, em outras mais estreitas e então similares em tamanho e formato, mais ou menos explanadas. O labelo é soldado à metade inferior da coluna, parecendo emergir deste ponto e então alargando-se bastante, na parte frontal formando lâmina algo ou bastante trilobada, chata um pouco carnosa no centro, ali possuindo ainda calosidades ou veias salientes. A coluna é longa, com ou sem pequenas aurículas inferiores e apresenta grande antera apical com duas polínias.

Quando utilizada em híbridos, a característica desta espécie que tende a dominar é a pouca quantidade de flores por inflorescência, prevalecendo inclusive sobre os tão floríferos Oncidium.

Aspasia é um gênero intermediário de Brassia e Miltonia, com o qual vegetativamente se parece mais, e do qual se distingue por apresentar o labelo parcialmente soldado à coluna.

Aspasia é composto por cerca de sete plantas epífitas robustas, de crescimento mais ou menos cespitoso ou aéreo, com ampla distribuição geográfica, cujas espécies ocorrem na faixa tropical da América Central à América do Sul, da Nicarágua ao Brasil, habitando florestas tropicais abaixo de mil metros de altitude. Quatro espécies registradas para o Brasil.

Porém, somente a Aspasia lunata é conhecida para Santa Catarina.

 

 

Classificação Científica:

Domínio: Eukaryota
Reino: Plantae
Divisão: Magnoliophyta
Classe: Liliopsida
Ordem: Orchidaceae

Etimologia e descrição do Gênero:

Família: Orchidaceae
Sub Família: Epidendroideae Lindley
Tribo: Cymbidieae
Sub Tribo: Oncidiinae
Aliança: Sem informação
Quantidade total de espécies aceitas para o Mundo: 
Quantidade total de espécies aceitas para Brasil: 04
Quantidade total de espécies aceitas para Santa Catarina: 01

Espécies aceitas para Santa Catarina:


Voltar