Previous Next
GÊNEROS E ESPÉCIES DE ORQUÍDEAS NATIVAS DE SC

Cyclopogon C. Presl

Cyclopogon C. Presl.

Cyclopogon é um gênero botânico pertencente à família das orquídeas (Orchidaceae). Foi publicado por C.Presl em Reliquiae Haenkeanae 1(2): 93, pl. 13, em 1827. A espécie tipo é o Cyclopogon ovalifolius C.Presl. O nome do gênero vem do grego cyclo, círculo, e pogon, barba, em referência à disposição das partes do perianto geralmente pubescente de suas flores ao redor do tubo sepalino.

Um dos maiores gêneros dentre as Spiranthinae, composto por cerca de 75 espécies herbáceas, antigamente pertencentes ao gênero Spiranthes.

Em regra são plantas terrestres de matas úmidas, ocasionalmente rupícolas ou epífitas, cujo centro de dispersão fica no Brasil austro-oriental mas que ocorrem em praticamente todos os países da América, excetuados Canadá e Chile.

Possuem raízes carnosas. As folhas em regra presentes, ocasionalmente ausentes, durante a floração de algumas espécies, são muito decorativas, com riscos e reticulados prateados sobre fundo verde escuro ou, eventualmente, tonalidades avermelhadas. A inflorescência, normalmente robusta apresenta grande número de flores pouco vistosas, esverdeadas, esbranquiçadas ou rosadas, algumas vezes muito perfumadas, espaçadas ou agregadas, em posição espiralada e não raro voltadas para um só lado da raque. As sépalas de suas flores em regra são externamente pubescentes perto da base, ou em todo seu comprimento. Normalmente a sépala dorsal é livre e as laterais levemente concrescidas, infladas na base de modo a formar um pequeno nectário.

Distingüimos este gênero de seus próximos, por suas flores, que apresentam labelo ungüiculado ladeado por aurículos com frequentes glândulas nectárias ou calos nesta região.

Taxonomia

As espécies do gênero Cyclopogon foram divididas e reagrupadas conforme a orientação seguida pelos taxonomistas. Quatro gêneros distintos foram criados a partir deste. Um destes gêneros, Cocleorchis Szlach., existe apenas na América Central e Caribe, dos outros três gêneros tratamos a seguir.

Um destes gêneros é Beadlea Small, criado em 1903. Segundo Garay, a espécie tipo de Cyclopogon possui um tubo sepalino muito mais longo que todas as outras espécies, então, em 1982, removeu praticamente todas as espécies do gênero para Beadlea, excetuada logicamente a espécie tipo de Cyclopogon. Aparentemente o comprimento desse tubo sepalino é bastante variável, portanto essa divisão não se justifica. Em 1993, Szlachetko, reduziu este gênero a um subgênero de Cyclopogon.

Em 1982, Garay também propôs a criação do gênero Stigmatosema, composto por duas espécies de Cyclopogon cujo formato do rostelo difere do das outras espécies. Mais tarde Szlachetko ampliou a descrição do gênero e acrescentou mais espécies.

O gênero Warscaea foi proposto por Szlachetko em Fragmenta Floristica et Geobotanica, 39(2): 561, em 1994, tipificado pela Warscaea goodyeroides (Schltr.) Szlach., antes descrita como Spiranthes goodyeroides Schltr.. O nome é uma homenagem ao famoso coletor de orquídeas Josef von Warscewicz. Nas três ou quatro espécies brasileiras e colombianas transferidas de Cyclopogon para o novo gênero Warscaea, existe uma pequena bolsa ventral no ápice do rostelo, formada por suas margens, naqueles ausente. Alguns taxonomistas consideram esta pequena diferença insuficiente para aceitar a divisão do gênero. As espécies que pertencem a este grupo são Warscaea aprica, W. goodyeroides, W. oligantha e W. diversifolia.

Enfim, ainda não há consenso entre os espécialistas sobre a circunscrição do gênero Cyclopogon.

 

Santa Catarina, possui as seguintes espécies:

 

 

Classificação Científica:

Domínio: Eukaryota
Reino: Plantae
Divisão: Magnoliophyta
Classe: Liliopsida
Ordem: Orchidaceae

Etimologia e descrição do Gênero:

Família: Orchidaceae
Sub Família: Orchidoideae
Tribo: Cranichideae
Sub Tribo: Spiranthinae
Aliança: Sem informação
Quantidade total de espécies aceitas para o Mundo: 
Quantidade total de espécies aceitas para Brasil: 32
Quantidade total de espécies aceitas para Santa Catarina: 22

Espécies aceitas para Santa Catarina:


Voltar