Previous Next
GÊNEROS E ESPÉCIES DE ORQUÍDEAS NATIVAS DE SC

Bulbophyllum Thouars

Bulbophyllum Thouars

Foi proposto por Aubert du Petit Thouars em Histoire Particulière des Plantes Orchidées Table 3 of the species of orchids, em 1822, ao transferir pare este gênero uma espécie anteriormente por ele descrita descrever sua espécie tipo, a Phyllorkis nutans hoje Bulbophyllum nutans.

Etimologia

O nome do gênero (Bulb.) procede da latinização das palavras gregas: βολβος (bolbos), que significa "bulbo", "tubérculo", "raiz carnuda"; e φύλλον que significa "folha", aludindo à forma bulbosa das folhas da primeira planta descrita, folhas bastante espessas.

Possui mais de 2.000 mil espécies largamento distribuidos no sudeste da Ásia e regiões adjacentes e também na África, Austrália e América Tropical, a maioria das espécies brasileiras ocorrem no centro e sudeste e no cerrado. Em Santa Catarina, temos a ocorrência de 12 espécies:

 
Descrição

Poucas são as características comuns a todas as espécies deste gênero. Apresentam crescimento simpodial e frequentementa apresentam rizoma bastante longo crescendo de forma desordenada com pseudobulbos bem espaçados, de modo que até que a planta forme uma touceira, seu aspecto é bastante desarrumado, muitas espécies apresentam crescimento cespitoso. Têm uma folha por pseudobulbo, raramente duas. Estas são coriáceas e possuem pecíolo evidente. As folhas variam de poucos centímetros até quase um metro de comprimento.

A inflorescência é produzida a partir de nós do rizoma ou da base do pseudobulbo, e pode conter desde uma flor solitária, até dezenas de flores dispostas de maneiras variadas. Algumas nascem formando uma coroa ou estrela, outras formam uma umbela ou corimbo, ou podem nascer enfileiradas e paralelas. As flores também variam de poucos milímetros até cerca de 30 cm de comprimento.

Normalmente o labelo dessas plantas é bem colorido e imita insetos da região em que vivem. Na maioria das espécies a base do labelo é apenas levemente preso ao resto da flor de modo que podem mover-se com a mais leve brisa atraindo insetos polinizadores. Algumas são perfumadas e outras produzem cheiro bastante repulsivo, que pode assemelhar-se ao de carniça. As sépalas podem ser mais ou menos concrescidas e consideravelmente mais largas que as pétalas e labelo.

Divisão subgenérica

Desde a criação do gênero há controvérsias se o gêneros Cirrhopetalum e Megaclinium, bem como uma série de outros posteriormente propostos, devem fazer parte de Bulbophyllum. Além disso não há concordância sobre onde deve ocorrer a separação e quais espécies deverão ser incluídas em cada um deles. A filogenia de Bulbophyllum está sendo analisada. Sem dúvida brevemente teremos alterações em sua classificação.

Devido à sua complexidade o gênero está atualmente dividido em muitos subgêneros e quase cinquenta secções. Para o Brasil há cerca de sessenta espécies descritas, todas pequenas e pouco ornamentais, as quais pertencem a apenas quatro ou cinco dessas secções.

 

Classificação Científica:

Domínio: Eukaryota
Reino: Plantae
Divisão: Magnoliophyta
Classe: Liliopsida
Ordem: Orchidaceae

Etimologia e descrição do Gênero:

Família: Orchidaceae
Sub Família: Epidendroideae Lindley
Tribo: Podochilaeae
Sub Tribo: Bulbophyllinae
Aliança: Sem informação
Quantidade total de espécies aceitas para o Mundo: 
Quantidade total de espécies aceitas para Brasil: 49
Quantidade total de espécies aceitas para Santa Catarina: 16

Espécies aceitas para Santa Catarina:


Voltar