Previous Next
GÊNEROS E ESPÉCIES DE ORQUÍDEAS NATIVAS DE SC

Barbosella Schltr.

Barbosella Schltr.

Barbosella (em português: Barbosela) é um género botânico pertencente à família das orquídeas (Orchidaceæ).

O gênero Barbosella foi proposto por Schlechter em Repertorium Specierum Novarum Regni Vegetabilis 15(427/433): 259-260, em 1918, com base na Pleurothallis gardneri, anteriormente descrita por Lindley.

Espécie tipo: Barbosella gardneri (Lindley) Schltr (1918).

Etimologia

O nome é uma homenagem ao botânico brasileiro Barbosa Rodrigues, que teve seu nome latinizado para Ioannes Barbosa Rodrigues.

Sinônimos

Restrepia sect. Prorepentes Rchb. f. Gard. Chron. 7(183): 810. 1877.

Restrepia sect. Ramulosae Lindley, Folia Orchidacea. Restrepia Fasc. 8, Restrepia pg. 3. 1859.

Distribuição

Compreende dezoito espécies miniaturas que existem desde o México, espalhando-se por toda a America Tropical, até o Norte da Argentina. Cerca de dez espécies encontradas no Brasil.

Habitat

Epífitas, em florestas sombrias saturadas de umidade.

Descrição

Na época da publicação do Flora Brasiliensis era classificada como Restrepia gardneri.

São plantas de crescimento reptante, ligeiramente parecidas com Restrepia, gênero ao qual já estiveram subordinadas. Caracterizam-se por apresentarem rizoma rasteiro, sem ramicaule aparente, capazes de formar grandes e densos tapetes com suas folhas mais ou menos carnudas. Quando bem cultivadas florescem profusamente. Apresentam apenas uma delicada flor por inflorescência, que brota em longo e finíssimo pedúnculo.

As flores são enormes quando comparadas ao tamanho da planta. As sépalas laterais concrescidas e muito abertas em relação a sépala dorsal, quando vistas de perfil dando a impressão do bico bem aberto de uma ave. As pétalas muito menores e estreitas. O labelo é móvel, e bastante pequeno em comparação às sépalas. Diferem da maioria dos gêneros desta subtribo por terem quatro polínias, porém, a principal característica deste gênero é a união entre o labelo e a coluna, que é formada por um tipo de articulação de um lado com extremidade esférica e de outro, um receptáculo côncavo, como a que ocorre no homem entre o ossos da bacia e fêmur.

Algumas espécies apresentam flores quase iguais entre sí, fazendo-se sua distinção pelo aspecto vegetativo da planta, tamanho, formato e espessura das folhas ou variedade no tamanho das flores: A Barbosella crassifolia, que tem folhas bem espessas, parece com a Barbosella australis mas as folhas e flores desta última são muito maiores, com tamanho aproximado as da Barbosella cogniauxiana. As Barbosella cucullata, dolichorhiza e prorepens têm folhas muito mais estreitas. A Barbosella dusenii tem pétalas maiores e mais longas.

Em 1981 Luer propôs que esta espécie fosse separada de Barbosella, no gênero Barbrodria, por não apresentar o mesmo tipo de articulação que une o labelo e a coluna daquelas flores, mas sim apenas uma união móvel, contínua e delicada, no entanto isto tornaria o gênero polifilético, de modo que o novo gênero não foi aceito.

Filogenia

Segundo a filogenia da subtribo de Pleurothallidinae, publicada em 2001 no American Journal of Botany, por Chase et al. Este gênero situa-se entre Restrepiella, do qual é muito próximo, e Acianthera, que já pertence a outro grande grupo. Forma, junto com Echinosepala, Myoxanthus, Pleurothallopsis, Restrepiopsis, Restrepia, e Restrepiella, o segundo dos oito grandes grupos da subtribo Pleurothallidinae, entre os grupos de Octomeria e Acianthera.

 

Santa Catarina, possui as seguintes espécies:

 

Classificação Científica:

Domínio: Eukaryota
Reino: Plantae
Divisão: Magnoliophyta
Classe: Liliopsida
Ordem: Orchidaceae

Etimologia e descrição do Gênero:

Família: Orchidaceae
Sub Família: Epidendroideae Lindley
Tribo: Epidendreae
Sub Tribo: Pleurothallidinae
Aliança: Sem informação
Quantidade total de espécies aceitas para o Mundo: 
Quantidade total de espécies aceitas para Brasil: 09
Quantidade total de espécies aceitas para Santa Catarina: 07

Espécies aceitas para Santa Catarina:


Voltar